arquivo vivo

HOME  CADERNO F REGIÃO   ESTADO OPINIÃO IDÉIAS TURISMO O JORNAL ARQUIVO PROJETOS ANÚNCIOS SISTEMA

 


MEMÓRIA
Construído em 1912 o Farol
Calcanhar continua a brilhar

Calcanhar é o segundo maior farol do planeta

Por: Roberto Patriota //
roberto.patriota@hotmail.com

O Farol do Calcanhar é o segundo maior farol do planeta, estando situado no município de Touros, à 96 km de Natal, capital do Rio Grande do Norte (Brasil). O farol está estrategicamente colocado numa região onde o litoral brasileiro faz um ângulo agudo, a chamada "esquina do continente". Atualmente possui 62 metros de altura e 298 degraus. Torre troncónica em concreto com quatro longarinas laterais de reforço e lanterna. Pintada com faixas horizontais brancas e pretas. Vários edifícios térreos anexos. Foi construído no ano de 1912, pelo mecânico Raimundo Soares Pereira, mediante um contrato lavrado na Capitania dos Portos do Estado do Rio Grande do Norte. À lavratura do contrato esteve presente o capitão dos portos – capitão-de-corveta Pedro Vieira de Melo Pina. A execução do contrato foi determinada por telegrama urgente do almirante Jaceguai, chefe da repartição da Carta Marítima do Brasil, do Ministério da Marinha, sendo diretor de Faróis o capitão-de-fragata Eduardo Veríssimo de Matos.

A construção teve início no dia 8 de abril de 1912, com a presença do 1º tenente-da-armada – Tilemon Fontes, Capitão do Porto, interino, e terminou na administração do capitão-tenente Romero de Araújo, tendo vindo do Rio de Janeiro, a fim de receber o Farol, o ex-mecânico da Diretoria de Faróis, Alfredo Shultz, os quais seguiram para Touros a fim de receber o Farol por estar terminada a sua construção, e fazer, no dia determinado (21 de dezembro de 1912) a sua inauguração, após o que foram tiradas as suas coordenadas: 5º 8’ 50” de latitude, e 35º 31’ 11” de longitude.

Seu alcance luminoso era de 25 milhas em tempo claro. Aparelho de quarta ordem, pequeno modelo, com flutuador de mercúrio, servido por uma lâmpada de reservatório inferior, de duas mechas.

Em vista das constantes reclamações dos navegantes à Diretoria responsável, foi determinada pelo Exmº Sr. Almirante Américo Basílio Silvado, Superintendente de Navegação, no ano de 1927, a transformação do Farol para o sistema AGA, serviço esse executado pelo Mecânico de Faróis Domingos da Silva Xavier, auxiliado pelos faroleiros Antonio Dourado Netto, Raymundo Coelho, Avelino André da Silva, José Francisco Leite, José Viana Barbosa e Domingos Amâncio de Oliveira, sob a fiscalização do Sr. Capitão Tenente João Duarte, Comandante do Aviso Faroleiro “Tenente Mario Alves”, em missão de faróis no norte do País.

Em junho de 1937, com a presença do Sr. Capitão Tenente Leonel Magalhães Bastos, Capitão dos Portos, e do 2º Tenente Emigdio Lins Fialho e do faroleiro encarregado Avelino André da Silva, foi inaugurado o novo Farol aeromarítimo, com alcance de 25 milhas. Sua construção era de ferro, com 52 metros de altura, altitude de foco de 57 metros, todo pintado de roxo-terra. Aparelho de luz AGA, exibindo luz branca com as seguintes características: B. 0,3 seg. ; Ecl. 9,7 seg.

Em 1941 foi dado início ao novo Farol, de concreto armado, com 62 metros de altura, na gestão do Sr. Vice-Almirante Tácito Reis de Moraes Rego, Diretor Geral de Navegação, terminando na gestão do Sr. contra-almirante Jorge Dodsworth Martins. A inauguração do novo Farol teve lugar no dia 10 de novembro de 1943, cujo acendimento foi comandado pelo ráo do novo Farol após um sinal do Presidente da República, que se encontrava no salão de festas do Ministério da Marinha.

  ARQUIVO VIVO PARTE 2 

 

 


Sistema Integrado de ComunicaçãoConheça a Folha do Mato Grande

Expediente | Departamento Comercial | Arquivo Vivo | Classificados | Sistema Integrado | Fale Conosco
© Copyright. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução parcial ou total do conteúdo desta página sem a prévia autorização da nossa direção. // Designe Criativa